09.05 (1)

Os profissionais brasileiros sentem falta de interagir presencialmente com os colegas, mas perceberam que não precisam estar fisicamente com eles para executar um projeto ou realizar o trabalho do dia a dia.

 

Quase 40% deles sente, inclusive, que a produtividade em casa é similar àquela que apresentavam no escritório, ao lado dos colegas. Apesar de um quinto deles relatar a preocupação a respeito de como serão avaliados no home office por seus chefes diretos, mais de 54% afirmaram que irão pedir à gestão pela continuidade do trabalho remoto no pós pandemia.

 

Essas conclusões estão em um novo estudo, realizado por Fabian Salum, professor da área de Estratégia e Inovação da Fundação Dom Cabral, em parceria com a consultoria e auditoria Grant Thornton. O estudo ouviu 705 profissionais, de 18 estados brasileiros, sendo 46% de 24 a 39 anos e 41% de 49 a 58 anos. Um quinto dos entrevistados ocupa uma posição de gestão, 5% são CEOs e 16% gerentes. Mais de 57% atuam no setor de serviços, 17% na indústria, 5,6% no varejo e 8% no agronegócio. A captação dos dados ocorreu entre 23 de março e 5 de abril. 

(fonte: Valor Econômico) 

 

E por aí, curtindo o home office?